Educação Inclusiva

As avaliações externas consideram a singularidade de cada educando e oferecem condições para que realizem a prova de acordo com suas necessidades? Os alunos de inclusão podem justificar um desempenho insatisfatório da escola?

Essa questão tem sido muito debatida entre educadores que pressionados pelo compromisso com o bom desempenho da escola propõem estratégias discutíveis, algumas vezes até do ponto de vista ético, quando recomendam o não comparecimento desse público na escola nos dias de avaliações. No entanto, os alunos com necessidades educacionais especiais, identificados no censo escolar, que participarão das avaliações externas, têm o direito de receber atendimento diferenciado no momento dessa avaliação. Para isso as escolas deverão planejar e mobilizar seus recursos disponíveis para esse atendimento tais como: disponibilizar professores especializados das salas do AEE – Atendimento Educacional Especializado, intérprete de LIBRAS, material adaptado acessível como a transcrição em Braille das provas, lupas, etc. As provas poderão ser aplicadas juntando-se pequenos grupos de alunos com deficiência, ou individual, garantindo a assistência necessária para o bom desempenho do aluno.

PERGUNTE
VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR:

Nós utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao navegar por nosso site. Ao continuar utilizando nosso site, entenderemos que você concorda com nossa Política de Privacidade.