Inclusão Econômica

Muitas empresas disponibilizam recursos financeiros específicos e exclusivos para a contratação de pessoas com deficiência em seu quadro de colaboradores (extra quadro-padrão). Quais os impactos (positivos e negativos) para a empresa que adotarem este recurso?

Este recurso exclusivo fica sob a responsabilidade do RH para administrá-lo em função do desenvolvimento do programa de inclusão da empresa. Os aspectos positivos desse processo poderão ser considerados: O RH planeja suas ações de seleção e contratação com expectativas mais claras, podendo planejar suas tarefas em relação a este processo a curto, médio e longo prazo. Para o profissional com deficiência contratado, sua ansiedade diminui, pois terá oportunidade de conhecer a empresa de forma planejada e orientada pelo RH que poderá levantar expectativas e necessidades, que contribuam na organização de cursos de capacitação, e outras estratégias, favorecendo uma integração adequada a este público na empresa. Além disso, alguns aspectos poderão repercutir negativamente no ambiente das empresas, comprometendo o processo de inclusão: Trabalhar com a contratação com vista apenas ao cumprimento da cota, onde se coloca o grupo de funcionários com deficiência em permanente treinamento, sem visão de médio prazo, poderá gerar desmotivação por parte dos profissionais da empresa. Contratar o grupo de funcionários com deficiência (extra quadro) e terceirizar sua formação, deixando-os por longos períodos em formação sem sequer conhecerem a rotina da empresa e sua futura posição. O sentimento que gera neste grupo é o descompromisso com a empresa, uma vez que esta assume mais um papel de patrocinadora do curso do que de empregador. Organizar o grupo em atividades restritas a área de RH e apoio administrativo, mantendo-os em áreas diferenciadas da empresa, apartadas das rotinas de todos os outros funcionários e das metas de produtividade. Todas essas situações descritas acima poderão trazer consequências sérias para a empresa do ponto de vista de reclamações trabalhistas, pois poderão configurar assédio moral e discriminação, pois assim como em circunstâncias normais, as pessoas com deficiência trocam informações e o mercado avalia as empresas que se comportam dessa forma. Muitas têm dificuldades reais de continuar contratando novos profissionais com deficiência, colocando em risco a sustentabilidade do seu processo.

PERGUNTE
VOCÊ TAMBÉM PODE SE INTERESSAR POR:

Nós utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao navegar por nosso site. Ao continuar utilizando nosso site, entenderemos que você concorda com nossa Política de Privacidade.