Skip to content

Um estudo sobre os sentidos atribuídos ao aprender por pessoas com dislexia

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Baixar arquivo em PDF

DESCRIÇÃO:

O presente estudo tem como objetivo investigar os sentidos atribuídos, por pessoas com dislexia de evolução, ao aprender, entendido nesta pesquisa como apropriação de conhecimentos e aquisição de habilidades que se apresentam como necessários em seu meio.  

A partir do relato temático dos participantes sobre suas histórias de vida, apresenta uma compreensão sobre os diferentes contextos com os quais, em uma relação dialética, constituíram o seu modo de pensar, sentir e agir. Essa compreensão possibilitou reunir, em uma construção investigativa, os afetos, os motivos que levam à atividade e revelam os sentidos presentes em suas histórias. Como referencial teórico elegeu-se a Psicologia Sócio -Histórica.  

O estudo, em sua parte teórica, apresenta um registro sobre a evolução histórica do conceito de dislexia; caracterizações sobre a síndrome em seus variados aspectos; um recorte na teoria de Vygotsky sobre as funções psicológicas elementares e superiores; e investiga o sentido na perspectiva Sócio-Histórica. O estudo de campo foi desenvolvido por meio de entrevistas não diretivas, com três adultos, diagnosticados com dislexia, que chegaram ao ensino superior.  

As entrevistas foram submetidas à análise qualitativa e os resultados revelam que a dislexia se apresenta como um transtorno que pode gerar dificuldades variadas na vida cotidiana de uma pessoa. Porém, as habilidades que os entrevistados reconhecem em si proporcionam a superação dessas dificuldades. A experiência da dislexia foi vivida de modo diferenciado por cada um dos participantes e, com isso, é revelada, na pesquisa, a singularidade da atribuição de sentidos constituídos na relação dialética da pessoa com o meio, a partir dos afetos, dos motivos presentes em seus variados contextos. 

ANO:

2004

FORMATO:

PDF

AUTORA:

Fátima Ali Zahra Iak

FONTE:

Academia.Edu 

Nós utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao navegar por nosso site. Ao continuar utilizando nosso site, entenderemos que você concorda com nossa Política de Privacidade.