Skip to content

Análise sobre a trajetória histórica da educação de surdos

COMPARTILHE:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Baixar arquivo em PDF

DESCRIÇÃO:

Os surdos durante os diversos períodos da história foram colocados à margem do mundo econômico, social, cultural, educacional e político, sendo considerados como deficientes e incapazes desapropriados de seus direitos e da possibilidade de escolhas, a partir do final do último século houve mudanças significativas na forma de compreender suas características, que afetaram as propostas educacionais oferecidas a eles. 

Portanto, este estudo tem com o objetivo apresentar a trajetória e os desafios vivenciados pelos mesmos, com vistas a que estas análises possam possibilitar a compreensão dos embates, dúvidas e divergências que ainda estão postas em relação ao processo educacional desta população.  

Para tanto realizamos um levantamento bibliográfico sobre a história da educação dos surdos em livros, periódicos, dissertações e teses da área especializada. Identificamos como era a educação dos surdos desde os meados do século XVI até a atualidade, bem como a experiência educacional desenvolvida pelo primeiro professor de surdo, o monge Pedro Ponce de Leon do século XVI, como também sobre os educadores de surdos no século XVIII. 

Na sequência, comentamos sobre a fundação da primeira escola pública para os surdos, em Paris (1755) e as conclusões de vários pesquisadores sobre o Congresso de Milão (1880), o qual representou o marco divisor na história da educação dos surdos.  

Finalizamos esse estudo com discussões referentes às filosofias aplicadas a educação dos surdos, tais como: Oralismo, Comunicação Total e Bilinguismo, com ênfase neste último, dada a sua importância para resgatar o direito de expressão das pessoas surdas.  

Após refletirmos sobre a trajetória histórica da educação dos surdos, percebemos que é de fundamental importância que os educadores conheçam esse processo histórico vivenciado pelas pessoas surdas para que possam construir práticas pedagógicas, pautadas na reflexão para não se repetir no futuro os erros do passado e seus equívocos. 

ANO:

2009 

FORMATO:

PDF 

AUTORAS:

Kátia Tavares Meserlian 
Célia Regina Vitaliano 

FONTE:

Educere – XV Congresso Nacional de Educação 

Nós utilizamos cookies para melhorar sua experiência ao navegar por nosso site. Ao continuar utilizando nosso site, entenderemos que você concorda com nossa Política de Privacidade.